The Elder Scrolls Online apresenta conteúdo que critica o racismo
As três raças precisam enfrentar obstáculos raciais para consolidar sua unidade

The Elder Scrolls Online apresenta conteúdo que critica o racismo

Compartilhe!

Publicidade

Muitas obras da cultura pop tecem relações com a realidade em que vivemos. São incontáveis as referências ao racismo, lgbtfobia, machismo e outras opressões presentes na cultura nerd e o jogo de rpg online The Elders Scrolls Online, que narra as aventuras nas terras em que seu irmão mais velho e mais famoso se passa.

O jogo é dividido em 3 facções (Daggerfall Covenant, Ebonheart Pact, Aldmeri Dominion) e todas elas apresentam algum conteúdo que faz parelelo ao mundo real, como questões raciais, crises de modelo econômico, escravidão ou temas que abordam refugiados. Mas nesse pequeno post vamos falar sobre Aldmeri Dominion, a facção que une os felinos humanóides Khajiit, os elfos da floresta e os alto Elfos (Altmer).

Elfos dentro da cultura literária, diversas vezes, ocuparam posições de poder e perfeição, como nas obras do Tolkien, porém, aos poucos, essa posição foi sendo modificada, principalmente, pelos jogos de RPG. Em The Elder Scrolls, os alto elfos, uma das variáveis elficas, são criaturas poderosas e antigas que apresentam uma bom trabalho com as magias. Assumiram durante os anos uma boa posição de poder baseado em suas sociedades altamente organizadas que os levou a se sentirem superiores perante as outras raças. Porém muita coisa acontece e uma nova regente elfa chamada Ayrenn, assume o trono dessa sociedade, depois de várias tretas sobre a sucessão, e, em busca de uma melhora localização na nova geopolítica do mundo, acaba fazendo um pacto intitulado Aldmeri Dominion com uma raça prima, os elfos da floresta, e os Khajit que sempre tiveram fama de ladrões no mundo da franquia, porém a realidade é que sempre foram considerados uma espécie de segunda classe para todas as outras.

A relação entre os alto elfos e a outras duas raças são bastante abordadas nas missões iniciais do game, em que somos apresentados à um inimigo interno, uma divisão dos alto elfos que acreditam que a união com elfos da floresta e khajiits deteriora o orgulho da espécie ancestral. Os planos dessa divisão é derrubar a rainha Ayrenn e coroar uma nova rainha que também acredita na superioridade elfica e traria glórias para o império ao acabar dom o Aldmeri Dominion e expulsar as outras raças das suas terras ancestrais. Qualquer semelhança com o crescente aumento de supremacistas brancos não deve ser mera coincidência e é relevante perceber o quanto o discurso entre eles é similiar. Assim como na realidade, apenas a união entre as espécies oprimidas e aqueles da espécie opressora que acreditam na igualdade poderá vencer os avanços do racha elfico que impregna todo o território da facção.

Em algumas quests do jogo somos apresentados à outros elementos interessantes, como uma universidade que deveria ensinar igualmente todas as espécies da facção, porém que, sob domínio dos elfos racistas, acaba por tentar “adestrar” khajiits e elfos da floresta sobre o seu papel, utilizando tortura e assassinatos para isso. A desinformação e as notícias falsas espalhadas sobre as duas espécies consideradas inferiores também se faz presente na história apresentada pelo jogo. Novamente, qualquer semelhança com a realidade não é pouca coisa e, nessa linha, podemos traçar paralelos com diversos fatos da realidade atual

Publicidade

The Elder Scrolls Online traz essa e outras discussões e nós ficamos na esperança de que o público do jogo consiga absorvê-las, porém, fazendo parte da comunidade do game, percebo que isso ainda é algo um pouco complicado, devido à toxidade apresentada por boa parte de sua comunidade.


Compartilhe!

Rafael TAB

Rafael tem 26 anos e mora no interior de São Paulo. Diagnosticado com transtorno bipolar é fissurado por cultura pop e nerd desde os 9 anos de idade quando foi apresentado ao sítio do Pica Pau Amarelo e logo depois ao fantástico mundo de Harry Potter. Hoje é um grande fã de O Senhor dos Anéis e Star Trek. Tem fascinação por áudio-visual, tecnologia e games.

Deixe uma resposta

Fechar Menu