Robôs comestíveis podem invadir nossos cardápios. Está servido?
Imaginem uma pizza de calabreza com borda de robôs

Robôs comestíveis podem invadir nossos cardápios. Está servido?

Compartilhe!

Publicidade

Pesquisadores do laboratório EPFL (Ècole Polytechnique Fédérale de Lausanne) da suiça estão desenvolvendo uma espécie de robôs comestíveis que, segundo eles, podem auxiliar em descobertas de áreas ainda não exploradas do corpo humano e de outros animais e em desenvolvimentos médicos. No artigo intitulado Soft Pneumatic Gelatin Actuator for Edible Robotics” a ideia do novo alimento foi apresentada pelos estudiosos da área.

Segundo o site B9, que veiculou a notícia:

Esses “robôs pneumáticos de gelatina” possuem formatos de dedos e possuem uma lógica parecida a robôs moles utilizados por alguns supermercados europeus para pegarem frutas e outros objetos a consumidores, mas a diferença é que se tais dispositivos são feitos de plásticos, os bots suíços seriam uma combinação de gelatina, glicerica e água, o que os tornariam comestíveis e biodegradáveis.

Os robôs também poderiam ser enviados em missões de decomposição, quando seriam “abandonados” para serem fontes de alimentos para animais selvagens, sendo facilmente rastreados para a verificação de resultados sobre sua reutilização na natureza, graças a mecanismos de rastreamento instalados nos bots. A mesma lógica poderia funcionar para experimentos em humanos, quando os dispositivos seriam engolidos com medicamentos ou outras substâncias que poderiam revelar novidades para a área da medicina uma vez que seu percurso em corpos humanos seria usado como investigação científica.

Logicamente essa notícia pode apresentar altas doses de terror para os teóricos da conspiração, pois muita coisa poderia ser feita no corpo humano com a utilização desses robôs, como o rastreamento, que já está evidenciado na reportagem, mas que poderia ser feito sem aviso prévio aos consumidores do alimento que poderiam acreditar se tratarem de simples alimentos.

Porém os testes ainda estão em sua fase inicial e estamos distantes da utilização desse tipo de tecnologia (ou não).

Publicidade

E você? comeria um robô?


Compartilhe!

Rafael TAB

Rafael tem 26 anos e mora no interior de São Paulo. Diagnosticado com transtorno bipolar é fissurado por cultura pop e nerd desde os 9 anos de idade quando foi apresentado ao sítio do Pica Pau Amarelo e logo depois ao fantástico mundo de Harry Potter. Hoje é um grande fã de O Senhor dos Anéis e Star Trek. Tem fascinação por áudio-visual, tecnologia e games.

Deixe uma resposta

Fechar Menu