Facebook nega utilizar microfones de Smartphones para nos espionar
Estaria o Facebook registrando tudo o que a gente fala?

Facebook nega utilizar microfones de Smartphones para nos espionar

Compartilhe!

Publicidade

Sabem aquelas nossas conversas em rodas de amigos ou familiares? Aquelas em que anunciamos que uma pizza cairia bem naquela noite? E se, de repente, após falar a palavra pizza perto do seu smartphone, a sua timeline do Facebok começasse a exibir anúncios de pizza?

Bem. Isso é apenas uma teoria da conspiração que está na rede há um tempo, nada concreto. Mas a realidade é que muitas pessoas já relataram casos parecidos com esse. Isso levou com que uma suspeita parasse diante da rede social. Será que Mark Zuckemberg estaria tendo acesso à todas as nossas conversas particulares? Segundo Rod Goldman, vice Presidente de Produtos, Publicidade e Páginas do Facebook, isso não está acontecendo.

Faço produtos de anúncio no Facebook. Nós nunca – e jamais iremos – utilizar o seu microfone para conteúdo publicitário. Apenas não é verdade.

O Tweet enviado por Goldman foi para acalmar os ânimos de alguns internautas que questionavam tal possibilidade.

Mas pensando bem sobre o caso, já é conhecido que tal tecnologia existe. O Google, por exemplo, utiliza algo parecido, ouvindo sua voz o tempo inteiro para fazer com que o Google Assistent possa ser acionado apenas pela voz. Isso é bem diferente de armazenar conversas aleatórios, porém eles tem esse poder. Segundo a Google, eles não o utilizam para gerar uma base de dados de informações, pois isso iria contra os seus termos de uso. Além disso, há a possibilidade de que a empresa viesse a sofrer um processo por armazenar informações confidenciais de seus usuários. E isso pode acarretar uma baita dor de cabeça. Basta lembrar que Samsung e LG já enfrentaram problemas similares por conta de suas televisões que ouviam e registravam tudo. Segundo as empresa, os registros seriam utilizados para melhorar o seu algoritmo de reconhecimento de voz. Isso custou caro, e muito caro, após um processo sofrido por ambas pela Comissão Europeia de Regulação.

Publicidade

Mesmo com a negativa do Facebook, creio que será difícil fazer com que a teoria da conspiração diminua. O Facebook pode até estar falando a verdade, porém, se estiver mesmo, nosso senso de validação para teorias conspiratórias continuará em alerta. Afinal, a rede social utiliza um processo tão complexo para direcionar anúncios que qualquer pesquisa feita no passado pode retornar em forma de análise publicitária. Alguém que, vez ou outra fale de algum assunto, pode acabar se enganando ao ver algum anúncio sobre esse assunto que acabou de falar. Afinal, quem está com vontade de comer pizza hoje, provavelmente já procurou por pizzarias no passado.

E você? Você quer acreditar?


Compartilhe!

Rafael TAB

Rafael tem 26 anos e mora no interior de São Paulo. Diagnosticado com transtorno bipolar é fissurado por cultura pop e nerd desde os 9 anos de idade quando foi apresentado ao sítio do Pica Pau Amarelo e logo depois ao fantástico mundo de Harry Potter. Hoje é um grande fã de O Senhor dos Anéis e Star Trek. Tem fascinação por áudio-visual, tecnologia e games.

Deixe uma resposta

Fechar Menu